As Bahias e a Cozinha Mineira fala sobre disco novo e festa das lyndas!

As Bahias e a Cozinha Mineira é a banda convidada do podcast dessa semana. Raquel Virgínia, Assucena Assucena e Rafael Acerbi falaram sobre o processo criativo de seu novo disco, “BIXA”, e – de uma forma leve e sem neuras – todo o lance de aceitação trans. Quem participou, por telefone, foi a também cantora MC Linn da Quebrada, que fez uma pergunta bem capciosa para as vocalistas: “qual foi a transa mais esquisita/estranha delas?” (por volta de 49 minutos). Play!

img_9533Essas duas divas brasileiras falaram de uma forma superdidática sobre aceitação trans, o que elas detestam responder (no quadro Perguntas Esdrúxulas), e como deve ser a abordagem das pessoas que têm dúvidas. “Já perguntaram se mijo sentada ou em pé… Para que você quer saber?”, retrucou Assucena (próximo dos 16 minutos). “É uma novidade (para a sociedade). A gente invadiu lugares que as travestis geralmente não estão. Todas as curiosidades que as pessoas têm em relação a isso, tiram com a gente (ouça por volta dos 14 minutos)”.

No próximo domingo (18.12), elas armam a festa Feshação, com participação de Liniker e Tássia Reis, no Carioca Club, em São Paulo. “A gente quis colocar a galera LGBT para ocupar estes espaços populares porque, quem frequenta são (o público) de Racionais a Mumuzinho. Uma das coisas que a gente lutou foi para que, pelo menos, a pista, fosse uma coisa só (sem divisão de gênero)”, explica Raquel no minuto 55.”A gente quis promover um encontro não só nosso, mas também de uma geração que quer se reunir. É o Réveillon das lyndas”. No dia anterior, encontram Alice Caymmi, no palco do Teatro Rival, no Rio.

img_9536Aos 53 minutos, as cantoras falam do processo de concepção do segundo disco, que ainda não tem data para lançar. Elas estão postando fotos e mais fotos dentro do estúdio. “Nosso segundo disco foi, praticamente, concebido com o primeiro. Foi uma fase de efervescência composicional, deu pauta pra gente”, explica Assussena. “A gente é galcostiniana, que sempre transcendeu esse abismo do que é um e outro. Me sinto completamente corajosa para o terceiro, o quarto. Eu não tenho essa crise, não”, completa Raquel.

No Rapidinhas, por volta de 3 minutos, elas tiveram de mostrar se preferem Minas ou Bahia: “Oxente ou uai?”, “Igreja do Bonfim ou todas as igrejas de Ouro Preto” e ainda se preferem moqueca de peixe ou frango com quiabo. Aos 24 minutos, começa o Caderno de Perguntas… Uma delas lembrou que era afim de um boy no colégio e, durante uma aula de Educação Física, soltou um pum enquanto ele segurava sua perna para um exercício de abdominal… Apostas de quem foi?

[hr]

No dia da gravação, Luis Coutinho teve uma emergência familiar e não estava em São Paulo. Vocës vão ouvir que o Rafael teve de ir embora no meio do programa, pois tinha um compromisso. Mas, antes, gravou “Ó, Lua” pra gente. Play!

Um vídeo publicado por Aos Cubos (@aoscubos) em

[hr]
Quer falar com a gente? podcast@aoscubos.com
SIGA NAS REDES SOCIAIS: iTunes.RSSFacebook, Twitter e Instagram!

Talvez você também goste...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *